sexta-feira, 9 de maio de 2014

Antepenúltimo episódio de ''Republicanos''

Episódio 8 – Assalto a Lanchonete.

Olivia – Filho, você esta bem?

Jonas – Não me chama de filho sua vagabunda, desgraçada, eu vou te matar – Jonas aponta uma arma para Olivia.

Felipe corre e ajuda Gina a se levantar.

Gina – Para Jonas. Para com isso.

Jonas se aproxima mais ainda de Olivia apontando a arma.

Jonas – Você me largou nos braços da minha avó como se eu fosse um encosto pra você, eu te odeio Olivia.

Olivia chora.

Olivia – Eu sei Jonas, me perdoa, eu sei que errei.

Gina se aproxima de Jonas.

Gina – Eu sei que você ta atordoado mais vem comigo, vamos descansar.

Dry se levanta e caminha para seu quarto.

Dry – Conheço quem ta drogado de longe. – Ela ri.

Jonas abaixa a arma e Gina o abraça.

Gina – Vem vamos. – Eles sobem para o quarto.

Olivia – Será que um dia ele vai me perdoar Felipe?

Felipe – Tomara que sim NE. O Jonas engraçado precisa voltar nele.

Cena 1/ Rua / Noite.

Tabatá – O pior que a essa hora não tem mais nenhuma lanchonete aberto e eu to com fome.

Alan – Relaxa. Eu tenho a solução.

Tabatá – Não vai me dizer que..- Alan a interrompe.

Alan – É isso mesmo, vem.

Eles vão ate uma lanchonete mais próximo.

Alan – Se prepara porque vamos ter que correr.

Tabatá – Eu adoro aventura!

Cena 2/ Republica / Interno / Quarto de Jonas / Madrugada.

Jonas esta com a cabeça no colo de Gina.

Gina – Fica tranqüilo Jonas, tudo isso vai passar.

Jonas – não, não vai. O Alan ta no reformatório por minha causa. – Ele chora.

Gina – Não foi sua culpa. Sem querer você acionou o botão que chamou a policia não foi?

Jonas – Acho que foi, não lembro direito.

Gina – Se drogou não foi?

Jonas se senta na cama.

Jonas – É muita coisa pra minha cabeça sabe? – Gina o abraça e eles se beijam.

Gina – Você sempre vai poder contar comigo, eu te amo.

Cena 3/ Republica / Quarto de Olivia / Interno / Madrugada.

Olivia esta sentada olhando o Diário.

Olivia – Maldito diário. Só trouxe desgraça pra essa republica. Se eu soubesse um jeito de destruir isso. – Ela tenta colocar fogo mais nada acontece.

Olivia – Droga.

Cena 4/ Rua / Madrugada.

Alan – No três. Um...

Tabatá – Dois...

Alan – Três. – Eles entram com tudo em uma lanchonete quebrando o vidro. – Vai cata tudo.

Tabatá canta – Eu adoro, eu me amarro.

O alarme da lanchonete dispara mais eles saem correndo sem serem pegos.

Cena 5/ Rua / Beco Escuro / Madrugada.

Tabatá e Alan se empanturram de salgados e pães que roubaram.

Tabatá – Agora sim to cheia. Você se saiu um ótimo ladrãozinho Alan. – Ela ri.

Alan – Se é isso que a vida quer de mim, faço bem feito. 

Tabatá – E amanhã? Pra onde vamos?

Alan – Vamos pra minha antiga casa, a republica.

Tabatá – Será que vão me aceitar lá?

Alan – Claro que vão. É só não falar sobre seu passado, aliás, porque foi parar no reformatório?

Tabatá – Eu não gosto de falar sobre isso mais, o meu pai me abusava.

Alan – e?

Tabatá – E em um dia eu me cansei e matei ele. – Ela começa a chorar – Tudo que eu queria era uma vida normal. Tranquila sabe?

Alan – Eu sei bem como é. Mas agora você tem a mim.  

Tabatá – Me esquenta?

Alan – Claro. – Ele se senta escorado na parede e ela coloca suas costas na frente do peito dele, depois eles se olham e se beijam.

Cena 6/ Republica/ Sala / Madrugada.

Felipe desce de seu quarto para beber água quando vê Dry caminhando pela sala de mansinho.

Felipe – Ainda acordada Dry?

Dry olha para Felipe assustada.

Congela em Dry.

Fim do episódio. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário